Coluna Paraná Produtivo/ADI 13-14/02/2021

Volvo contratando
Com sinais positivos de retomada, Volvo começa ano contratando 400 funcionários. A empresa aumentou o ritmo de produção em sua fábrica em Curitiba para atender a um crescimento na demanda por seus caminhões. “A América Latina é a maior região de negócios de caminhões da Volvo no mundo, mesmo diante do cenário econômico adverso criado pelo covid-19”, declara Wilson Lirmann, presidente do Grupo Volvo América Latina. A empresa vê bons sinais de recuperação no Brasil, principal mercado do continente. Com a retomada de alguns segmentos da economia a partir do segundo semestre de 2020 e indicadores positivos para 2021, a Volvo estima que o mercado total de caminhões pesados e semipesados, segmentos em que atua, tenha um crescimento de até 40% este ano.

Coamo em alta
A Coamo Agroindustrial Cooperativa registou em 2020, R$ 20,003 bilhões em receita global. O valor representa um crescimento de 43,2% em relação ao ano anterior. Esse foi o melhor resultado dos 50 anos da cooperativa, celebrado em novembro do ano passado. A sobra líquida atingiu o montante de R$ 1,109 bilhão, um crescimento de 40,0% em relação ao ano anterior. Os números foram aprovados na assembleia geral ordinária realizada na última quinta-feira, 11. As exportações da Coamo foram para os continentes europeu, americano e asiático num total de 19 países. Em 2020 o volume exportado pela Coamo foi de 4,604 milhões de toneladas de produtos, com um faturamento de US$ 1,524 bilhão e um crescimento de 2,0% em relação ao ano anterior.

Lucro da Sanepar
A Sanepar registrou lucro líquido de R$ 291,3 milhões no quarto trimestre de 2020, queda de 24,6% ante os ganhos de R$ 386,3 milhões no mesmo período de 2019. O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) caiu 13,3% nos últimos três meses do ano passado, na comparação anual, para R$ 547,2 milhões. A margem Ebtida caiu de 47,1% para 44,2%. A receita líquida da Sanepar no quarto trimestre ficou em R$ 1,236 bilhão, recuo de 7,7% em relação ao mesmo período de 2019. A dívida líquida da companhia fechou o ano em R$ 2,773 bilhões, queda anual de 1,2%.

Ferroeste em 2020
Todos os resultados da Ferroeste foram positivos em 2020. Pelo segundo ano consecutivo, a empresa bateu recordes históricos de movimentação total de cargas, de grãos, de contêineres e teve o maior lucro operacional desde a sua criação, em 1996. Os bons números que já tinham sido conquistados em 2019, o primeiro da história em que a ferrovia fechou no azul, foram superados no ano passado. O lucro operacional, já descontadas as depreciações, foi de R$ 1,27 milhão em 2020, quase três vezes mais que no ano anterior, quando a Ferroeste lucrou R$ 453 mil. O Ebitda, que calcula a gestão operacional da empresa, subiu 5,88% no período. Foram movimentadas pela malha ferroviária 1,38 milhão de toneladas de produtos, 21,3% a mais que em 2019.

Lucro da Rum
A operadora ferroviária Rumo registrou lucro líquido de R$ 3 milhões no quarto trimestre de 2020, queda de 98,5% em relação ao mesmo período do ano anterior. Em todo o ano de 2020, a empresa reportou lucro líquido de R$ 305 milhões, recuo de 61,2% ante 2019. A margem líquida foi de 0,2% e de 4,4% nos períodos, nesta ordem, com decréscimo de 11,9 pontos porcentuais e de 6,7 pontos porcentuais, respectivamente. A companhia também reportou Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) de R$ 758 milhões no último trimestre do ano, representando perda de 15,6% em relação ao mesmo intervalo de 2019. No acumulado anual, o Ebitda foi de R$ 3,664 bilhões, 4,3% menor que no ano anterior.

Fiagro no Senado
O Senado aprovou na última quarta-feira, 10 o texto-base do projeto de lei que cria os Fundos de Investimento nas Cadeias Produtivas Agroindustriais (Fiagro), uma ferramenta para que o setor agropecuário possa captar dinheiro no mercado de capitais. O PL 5.191 de 2020 recebeu dois destaques, que ainda precisam ser votados antes de o projeto seguir para a sanção presidencial. O Fiagro vai permitir que investidores nacionais e estrangeiros direcionem recursos ao setor através de aplicações em ativos financeiros atrelados ao agronegócio ou da aquisição de imóveis rurais. Os rendimentos e ganhos de capital distribuídos pelo fundo serão sujeitos ao imposto de renda retido na fonte, com alíquota de 20%. A expectativa é que o Fiagro consiga captar até R$ 1 bilhão ao final do seu primeiro semestre de funcionamento.

Garantia-Safra
O Ministério da Agricultura liberou quase R$ 75 milhões para pagamento do Garantia-Safra a 88.226 agricultores familiares, segundo portaria publicada no Diário Oficial da União na última quinta-feira, 11. O programa busca amparar famílias que tenham sofrido perdas na lavoura por causa de estiagem ou enchente. Foram beneficiados agricultores de 142 municípios dos estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Piauí e Sergipe, que vão receber uma parcela de R$ 850,00. Normalmente são pagas 5 parcelas de R$ 170,00, mas, por causa da pandemia do covid-19, elas foram unificadas. Em janeiro, o governo já tinha liberado R$ 168 milhões do Garantia-Safra 2019/2020, que contemplaram 197 mil agricultores familiares residentes em Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Piauí.

Setor de serviços
O setor de serviços ficou estável (-0,2%) em dezembro frente a novembro, interrompendo seis meses consecutivos de alta. Apesar do ganho acumulado de 18,9% nesse período, o volume de serviços ainda se encontra 3,8% abaixo do patamar de fevereiro, quando as medidas de isolamento social para controle da pandemia de covid-19 ainda não haviam sido adotadas. Com isso, o setor encerrou o ano com um acumulado de -7,8% entre janeiro e dezembro. É a queda mais intensa da série histórica da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), iniciada em 2012 para esse indicador. Os dados foram divulgados na última quinta-feira, 11, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A retração no acumulado do ano supera a de 2016 (-5%) e interrompe dois anos de resultados não negativos: 2018 (0,0%) e 2019 (1,0%).

Exportações do agro
As exportações do agronegócio foram de US$ 5,67 bilhões em janeiro deste ano, o que significou recuo de 1,3% na comparação com janeiro do ano passado (US$ 5,75 bilhões). De acordo com a Secretaria de Comércio e Relações Internacionais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (SCRI/Mapa), a queda nas exportações de soja em grão, de quase meio bilhão de dólares, explica o recuo das exportações do agronegócio no mês de janeiro. Essa redução foi compensada, em grande parte, pelo aumento do valor exportado de quatro produtos: milho (+42,5% ou +US$ 148,96 milhões em valores absolutos), açúcar de cana em bruto (+35,6% ou + US$ 141,06 milhões em valores absolutos), café verde (+30,2% ou +US$ 108,05 milhões) e farelo de soja (+28,3% ou +US$ 99,17 milhões em valores absolutos).

Geração solar
O Brasil acaba de atingir o recorde de 500 mil unidades consumidoras de energia solar fotovoltaica distribuída (GD), sendo a maior parte instalada em residências (73,6%). Os pequenos comércios já respondem por 16,6% do total de consumidores, seguidos pelo setor rural (7%), e pela indústria (2,4%). O restante, menos de meio por cento, se refere ao consumo de prédios públicos. Para atender as 500 mil unidades já foram instalados 400 mil sistemas solares, outra marca recorde, somando investimento de R$ 23,1 bilhões. No ano passado, mesmo em meio à crise da covid-19, a GD adicionou 2 gigawatts (GW) de potência instalada ao sistema elétrico brasileiro. Para este ano, a previsão é de mais 3 GW. No acumulado desde 2012, a GD soma 4,8 GW.

Colheita da maçã
Maior produtora de maçã do Brasil, Santa Catarina espera uma safra de excelente qualidade. Os produtores pretendem retomar o crescimento e ganhar espaço no mercado internacional. A abertura oficial da colheita ocorreu na última quarta-feira, 10, em Fraiburgo. Santa Catarina espera colher mais de 550 mil toneladas de maçã na safra 2020/21, o montante representa metade da produção nacional da fruta. O estado conta com aproximadamente dois mil produtores, basicamente agricultores familiares na região de São Joaquim e Fraiburgo. Santa Catarina faz parte da única região do mundo a erradicar a Cydia pomonella. A praga, também conhecida como traça da maçã, pode causar grandes prejuízos aos produtores rurais e está longe do território catarinense há quase 10 anos.

Setor de turismo
Em meio à pandemia de covid-19, o índice de atividades turísticas despencou 36,7% em 2020 frente a igual período de 2019, segundo divulgou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O desempenho do setor de turismo foi pressionado, sobretudo, pelos ramos de restaurantes, transporte aéreo, hotéis, transporte rodoviário coletivo de passageiros, catering, bufê e outros serviços de comida preparada e agências de viagens. Todas as 12 unidades da federação investigadas pelo IBGE registraram taxas negativas, com destaque para São Paulo (-40,0%), seguido por Rio de Janeiro (-30,9%), Minas Gerais (-35,2%), Bahia (-37,2%) e Rio Grande do Sul (-43,3%). Na passagem de novembro para dezembro, o indicador ficou estável, interrompendo uma sequência de sete altas.

Coluna publicada simultaneamente em 20 jornais e portais associados. Saiba mais em www.adipr.com.br.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *