Coluna Paraná Produtivo/ADI 22-23/01/2021

Cooperativas
As cooperativas agropecuárias do Paraná responderam por 33,8% do valor exportado pelo agronegócio paranaense em 2020. É o que revela o levantamento feito pela Gerência de Desenvolvimento Técnico da Ocepar (Getec), com base em dados do Agrostat – Estatísticas de Comércio Exterior do Agronegócio Brasileiro, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). No ano passado, os embarques do setor agropecuário paranaense atingiram a soma de R$ US$ 13,3 bilhões, dos quais US$ 6,1 bilhões referentes à comercialização do complexo soja (45,6%), US$ 2,8 bilhões em carnes (21,0%) e US$ 2,2 bilhões em produtos florestais (16,7%). Esses são os principais itens da pauta de exportações do agronegócio no Estado.

Coamo lidera
A Coamo, com US$ 1,5 bilhão, montante que representa 33% total embarcado por todas as cooperativas do Paraná; a Lar, com US$ 811,1 milhões (18,1%); e a C.Vale, com US$ 485,2 milhões (10,8%), foram responsáveis por 61,9% das vendas externas do segmento cooperativista paranaense efetuadas em 2020. Segundo o presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, o desempenho das cooperativas é fruto de um trabalho realizado há muitos anos na profissionalização de suas equipes. “Também é reflexo do processo de agregação de valor das matérias-primas produzidas pelos cooperados. Atualmente, há 18 cooperativas paranaenses que fazem exportações diretas, entre as 59 cooperativas agropecuárias registradas na Ocepar”, acrescentou.

Copel Mercado Livre
A Copel Mercado Livre vai vender energia ao Porto de Paranaguá pelos próximos cinco anos. O suprimento prevê atendimento para as cinco unidades do porto, iniciando em maio desse ano. A economia estimada é de R$ 10 milhões a R$ 13 milhões no período contratado, dependendo da bandeira tarifária vigente. Além da mudança para o mercado livre, o Porto de Paranaguá escolheu a modalidade de “consumidor varejista” para simplificar todo o processo no mercado. Nesse modelo de contratação, a Copel fica responsável pela intermediação e pelas obrigações com a CCEE (Câmara de Comercialização de Energia Elétrica). Para o Porto de Paranaguá, isso significa a possibilidade de economizar nos gastos com energia e, ao mesmo tempo, dispensa a associação junto à CCEE, facilitando o processo.

Pioneira no país
A Copel foi pioneira no mercado livre ao criar uma comercializadora de energia e ser a primeira a vender energia para consumidores livres em 1995, mesmo ano de criação do mercado livre de energia no Brasil. A Copel Mercado Livre foi criada em 2016, para oferecer mais economia e tranquilidade para clientes de todas as regiões do país. A subsidiária se prepara para atender a consumidores de energia de todos os segmentos. Para isso, a subsidiária está promovendo a digitalização dos seus processos. A expectativa é que até o final de 2021 a empresa seja 100% digital, facilitando a prestação de serviços aos consumidores finais.

Paraná destaque
O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) atualizou as informações sobre as operações do crédito rural no Plano Agrícola e Pecuário de 2020/2021. O Paraná obteve o maior montante em recursos aprovados, com R$ 3,2 bilhões, o equivalente a 21,2% do total dos repasses no país, que atingiu R$ 15,3 bilhões. As operações creditícias, destinadas a produtores rurais, empresas agropecuárias e cooperativas paranaenses, tiveram 17.219 beneficiários, em 22.275 operações. Os dados dizem respeito a contratos realizados até o dia 20 de janeiro de 2021 e estão disponíveis na página do BNDES. Em todo o Brasil, foram realizadas 77.707 operações de crédito rural, com 59.092 beneficiários. Entre os programas com maiores montantes contratados estão o Moderfrota, Pronaf, PCA, ABC e Inovagro.

Emprego cresce
A pesquisa Sondagem Industrial mostra que, pela primeira vez em dez anos, houve aumento de emprego no mês de dezembro. De acordo com o estudo da Confederação Nacional da Indústria (CNI), divulgado na última quinta-feira, 21, o índice de evolução do número de empregados ficou em 50,5 pontos, acima da linha divisória de 50 pontos, demonstrando crescimento do emprego. A atividade industrial encerrou o ano relativamente forte, embora os sinais de desaceleração já possam ser percebidos. Segundo a pesquisa, produção industrial caiu em dezembro de 2020, quebrando uma sequência de seis meses consecutivos de crescimento. O índice de evolução da produção ficou em 46,8 pontos, abaixo da linha divisória de 50 pontos, ou seja, reflete queda da produção na comparação com o mês anterior.

Produção de café 
A safra de café do Brasil em 2021 deve ficar entre 43,85 milhões e 49,58 milhões de sacas de 60 quilos, o que representaria queda de entre 21,4% e 30,5% na comparação com o ano passado, projetou a estatal Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) em seu primeiro levantamento sobre a temporada. A produção de café arábica foi estimada entre 29,7 milhões e 33 milhões de sacas, com recuo de entre 32,4% e 39% frente ao ano anterior. Já a safra de café robusta foi projetada no intervalo entre 14,13 milhões de sacas e 16,6 milhões de sacas. O recuo na produção deve vir apesar de um aumento de 1,2% na área total cultivada com café no Brasil neste ano, para 2,18 milhões de hectares, segundo relatório da estatal, que atribui o desempenho a “problemas climáticos” e à bienalidade negativa da variedade arábica.

PIB do agronegócio
O Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio cresceu 16,8% entre janeiro e outubro de 2020, na comparação com o mesmo período do ano anterior, de acordo com cálculos do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) da Esalq/USP e da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). A expansão refletiu a safra recorde de grãos da temporada 2019/2020 e as altas na produção de suínos, aves, ovos e leite. Contribuíram ainda o forte avanço dos preços agropecuários, resultado do aumento do consumo doméstico e externo, e do alto patamar da taxa de câmbio. No ramo agrícola, o PIB teve alta de 14,55% até outubro de 2020, enquanto no setor pecuário, o avanço foi de 21,95%.

Trigo russo
A Sovecon elevou sua previsão para a safra russa de trigo de 2021, de 76,8 milhões para 77,7 milhões de toneladas, citando uma melhora das condições climáticas em janeiro, disse a consultoria agrícola na última sexta-feira, 22. “A forte nevasca nas últimas semanas deve aumentar as reservas de umidade, que estavam anormalmente baixas após um outono seco”, disse a Sovecon em nota. A cobertura de neve também forneceu isolamento oportuno para as plantas durante a recente onda de frio em regiões próximas ao Mar Negro. Agricultores nas principais regiões produtoras de trigo de inverno atualmente classificam as condições climáticas como médias ou ligeiramente melhores do que a média. A Rússia produziu 85,9 milhões de toneladas de trigo em 2020.

Peste suína
Outros 30 casos de peste suína africana (FSA) foram encontrados em javalis no leste da Alemanha, segundo nota das autoridades alemãs na quarta-feira, 20, em um surto contínuo entre animais selvagens que interrompeu as exportações de carne suína alemã para a Ásia Os novos casos ocorreram no estado de Brandenburg, no leste, e elevam o número de casos confirmados da doença em javalis para 527 no estado, disse o ministério da saúde de Brandenburg. Junto com 17 casos na região oriental da Saxônia, isso eleva o total de casos relatados na Alemanha para 544. Todos estavam em animais selvagens sem porcos afetados. Mas dois dos 30 novos casos relatados foram encontrados a cerca de 2 km (1,2 milhas) fora da zona central, onde outros casos foram encontrados, disse o ministério de Brandemburgo.

Coluna publicada simultaneamente em 20 jornais e portais associados. Saiba mais em www.adipr.com.br.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *