Ampliação da pista do Aeroporto de Foz do Iguaçu alcança 85%

As obras da ampliação da pista do Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu/Cataratas, na região Oeste, atingiram 85% de conclusão, com previsão de entrega entre abril e maio. A nova estrutura executada na cabeceira 15 proporcionará a atração de mais voos para o município, e o terminal passará a concorrer com destinos do mundo inteiro. A obra é parte do projeto de transformar o Paraná no hub de distribuição da América do Sul.

A terraplenagem e a pavimentação da nova pista já foram concluídas, mas ainda estão em andamento o plantio de grama e as instalações do sistema de drenagem e da subestação de energia, além da importação dos equipamentos de auxílio à navegação para balizamento da pista. A ampliação também está em processo de homologação junto às autoridades federais e, após o término dos trâmites burocráticos, ainda será finalizada a pintura e a instalada a iluminação.

Essas informações foram transmitidas por técnicos da obra, pelo diretor-geral brasileiro de Itaipu Binacional, Joaquim Silva e Luna, e pelo superintendente do aeroporto, Joacir Araújo dos Santos, ao governador Carlos Massa Ratinho Junior durante uma visita às obras nesta terça-feira (16). A intervenção, que começou em março de 2020, faz parte do convênio firmado entre o Governo do Estado, a Itaipu Binacional e a Infraero. O investimento é de R$ 69,4 milhões, sendo R$ 55,5 milhões da Itaipu, referentes a 80% do valor do contrato. Essa será a maior pista do Sul do País.

O governador ressaltou que a obra do aeroporto é uma das mais emblemáticas do pacote de avanços em Foz do Iguaçu porque impacta diretamente o turismo. Ele também destacou a execução célere diante da complexidade da intervenção – foram 800 mil metros cúbicos de terra utilizados para tampar uma ribanceira de 16 metros de altura, o equivalente a cerca de 50 mil caminhões cheios.

“Ficamos muito satisfeitos em ver o sucesso desse projeto, que é muito complexo. A velocidade da obra é resultado da união de esforços. Quando todo mundo rema para a mesma direção as coisas acabam acontecendo”, disse Ratinho Junior. “A obra é uma soma de boa engenharia, bom projeto, boa empresa prestando serviço, apoio técnico e financeiro da Itaipu e a assistência do Governo do Estado com apoio de engenharia e na área ambiental”.

Ele também destacou que a obra propõe uma retomada mais rápida do turismo depois da pandemia. “Será a maior pista do Sul do Brasil, o que também demonstra o potencial de Foz do Iguaçu. O aeroporto vai atender toda a região Oeste e, automaticamente, todo o Paraná. Foz do Iguaçu indo bem faz o Paraná ir bem”, acrescentou o governador. “Turistas do mundo todo poderão descer direto dos voos internacionais em Foz, o que antes não era possível. A ampliação também vai fazer com que o aeroporto possa se tornar uma central logística da América do Sul”.

A pista do Aeroporto Internacional das Cataratas tem 2.194 metros de comprimento por 45 metros de largura, e é considerada curta para decolagem de voos de longa distância. Hoje não é possível decolar com o tanque cheio, o que impossibilita voos diretos para os Estados Unidos e a Europa. A nova pista terá 2.858 metros, 664 metros a mais que a atual. A ampliação garante maior segurança para viagens intercontinentais, o que permite autonomia de voos para locais como Miami, Nova York, Lisboa e Madri.

As obras aconteceram em uma antiga área com terreno declivado no final da pista e serão concluídas em pouco mais de um ano, apesar da previsão original da Infraero ser de 2,5 anos de execução. Foram gerados 400 empregos diretos e inúmeros indiretos no processo. A intervenção envolve, ainda, maior segurança da pista com a implementação de novos dispositivos tecnológicos e uma casa de força totalmente digitalizada.

AEN/Foto: Jonathan Campos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *