Brasil está em 3º lugar na escala de países que prezam por viagens sustentáveis

Os brasileiros estão na terceira posição entre os viajantes que mais dão importância à questão ambiental, empatando com os mexicanos e colombianos e atrás apenas dos quenianos e dos vietnamitas. Centenas de pessoas de 30 nacionalidades diferentes foram questionadas sobre a importância de fazer viagens sustentáveis e 96% delas acreditam que esse seja um fator muito importante na escolha do destino.

Os dados constam no Relatório de Viagens Sustentáveis 2021, divulgado pela Booking.com aponta ainda que, durante as férias dos últimos 12 meses, 49% dos viajantes brasileiros tomaram a decisão de desligar o ar-condicionado ou aquecedor da acomodação quando não estavam presentes, e 54% decidiram levar a sua própria garrafa d’água reutilizável durante a viagem ao invés de comprar garrafas descartáveis. Apesar disso, 47% dos brasileiros dizem que ainda não existem opções suficientes para viagens sustentáveis em 2021.

Além disso, 64% dos viajantes brasileiros disseram que se sentem incomodados quando estão em alguma acomodação que os impede de ser sustentáveis, quando, por exemplo, não oferecem coleta de lixo reciclável. Paralelo a isso, 96% dos brasileiros relataram que desejam se hospedar em uma acomodação sustentável no próximo ano, um aumento considerável em relação a 2016 (80%), quando a empresa produziu pela primeira vez uma pesquisa voltada para as viagens sustentáveis.

De acordo com o Ministério do Turismo, o turismo de natureza vem ganhando força na escolha dos brasileiros na hora de viajar. Um levantamento realizado pela Associação Brasileira das Operadoras de Turismo (Braztoa) apontou para um crescimento na busca por locais que proporcionam maior conexão com a natureza. Entre os destinos mais procurados estão o de sol e praia, sendo quatro deles na região Nordeste: Porto de Galinhas (PE), Salvador (BA), Maceió (AL) e Porto Seguro (BA).

De acordo com a pasta, o segmento foi o principal motivo de viagem para 18,6% dos turistas internacionais em 2019. O mesmo se aplica à demanda doméstica, medida pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD-C), que analisou 21,4 milhões de viagens realizadas nos domicílios brasileiros no mesmo ano. O levantamento revelou que 86,5% dos deslocamentos ocorreram por motivos pessoais e 13,5% por motivos profissionais. Das viagens por motivo pessoal, 31,5% estavam em busca de lazer e, dentro deste universo, 25,6% tiveram como objetivo o ecoturismo e viagens de aventura.

O Turismo Sustentável, uma atividade turística que preza pelo meio ambiente e os recursos naturais, já vinha se consolidando como tema importante, que se intensificou com a pandemia de Covid-19. A preocupação do turista com impactos socioambientais, a priorização de produtos locais, o aumento da procura por destinos diferenciados com menor número de visitantes, que usam programas para redução do consumo de energia e água, gestão de resíduos, garante as necessidades presentes e para as futuras gerações, sem deixar de se preocupar com o crescimento econômico da região.

A equipe técnica de Turismo da Confederação Nacional de Municípios (CNM) destaca que o número de turistas que procuram por viagens sustentáveis aumentou ainda mais após a pandemia. A entidade acredita que a busca pelo turismo de natureza favorece os Municípios brasileiros.