Brasil, Paraguai e Uruguai discutem ações para fortalecer cooperação na fronteira

Secretário da segurança pública representa governo do Estado em reunião de ministros no Paraguai. Foto: SESP

Brasil, Paraguai e Uruguai querem renovar e fortalecer cooperação para segurança nas áreas de fronteiras. O assunto foi discutido em reunião de autoridades da área realizada sexta-feira (17), em Ciudad del Este, no Paraguai.

Participaram o ministro da Justiça e Segurança Pública do Brasil, Anderson Torres; o ministro do Interior do Paraguai, Arnaldo Giuzzio; a ministra da Justiça do Paraguai, Cecília Pérez; a ministra da Senad do Paraguai, Zully Graciela Rolón, e o ministro do Interior do Uruguai, Luiz Alberto Heber.

As ações visam especialmente o combate ao crime organizado transnacional e também a necessidade de se estabelecerem mecanismos preventivos à prática delituosa.

Entre os pontos discutidos estão o estabelecimento de uma sinergia operacional entre as polícias, intercâmbio seguro e eficiente de informações sobre as atividades relacionadas ao combate ao crime nas áreas de fronteira, a consolidação da cooperação na luta contra a criminalidade e controle migratório. A atualização do acordo do “Comando Tripartite” também foi pauta da reunião.

O secretário estadual da Segurança Pública, Romulo Marinho Soares, representou o Paraná. Para ele, a principal preocupação do Governo do Paraná é sempre com o bem-estar da população.

“O diálogo é sempre importante para se buscar uma solução. Participar da discussão do planejamento estratégico resultará em ações futuras desenvolvidas pelos países envolvidos. Por isso, a integração das forças é essencial para promover a segurança nas áreas de fronteiras”, disse Marinho.

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, ressaltou a importância de encontros como este. “Os novos desafios do enfrentamento do combate ao crime organizado nesta região nos impõem a tarefa de atualizar o acordo do comando tripartite”, disse.

Ficou declarado, via documento assinado pelos três ministros, o fortalecimento da integração dos órgãos de segurança nas esferas investigativa, operacional e de inteligência na região, bem como os esforços de cooperação no combate ao crime. O próximo encontro entre os países da tríplice fronteira será em Foz do Iguaçu, no próximo ano.