Brasil pode parar de importar trigo num prazo de 5 anos

O Brasil tem boas chances de voltar a ser autossuficiente na produção de trigo em cinco anos, disse em reunião de diretoria da Acic o presidente da Coopavel Dilvo Grolli.  “E diante da realidade mundial do grão, a triticultura se mostra uma excelente oportunidade a produtores rurais do Oeste do Paraná”, afirmou ele, que foi convidado para falar da terceira edição do Show Rural Coopavel de Inverno, agendada para 23 a 25 de agosto.

Atualmente, a produção mundial de trigo é de 779 milhões de toneladas e Ucrânia e Rússia, que estão em guerra há quatro meses, respondem por 30% da exportação do grão, mas devido ao conflito terão dificuldades estruturais e de logística para produzir e mandar o cereal a outras regiões.  “Assim, a tendência é que os preços do trigo sigam valorizados e temos aqui uma chance de produzir mais e fazer com que o Brasil volte, como ocorreu no passado, a ser autossuficiente”, detalhou o presidente da Coopavel.

O Show Rural de Inverno vai mostrar 40 cultivares, 29 delas de trigo e pelo menos dez com produtividade superior a seis mil quilos por hectare. Isso é quase o dobro da média argentina e bem mais que a média do Oeste paranaense, atualmente na casa de 2,6 mil quilos por hectare. Com as novas variedades, a meta é fazer com que a região eleve a sua produtividade, em alguns anos, para 4 mil quilos/hectare, fazendo com que o Paraná assuma a dianteira na produção nacional do grão – a liderança hoje é do Rio Grande do Sul.

O Sul responde por 90% da produção de trigo, mas o governo federal passa a incentivar também cultivos em outras regiões do País, como é o caso do Centro-Oeste. O Paraná, segundo Dilvo, dedicou em 2020 1,1 milhão de hectares à cultura e agora, em 2022, já são 1,5 milhão de hectares, fazendo com que a produção salte de 3,1 milhões para 3,9 milhões de toneladas no Estado. O consumo brasileiro é de 13 milhões de toneladas e para atender às necessidades internas o País precisará importar, neste ano, pelo menos seis milhões de toneladas.

O Show Rural de Inverno, a propósito, será realizado diariamente a partir das 8h30 e contará com a participação de agricultores, técnicos, filhos de produtores rurais e acadêmicos. Uma das novidades deste ano será a participação do especialista em mercados Vlamir Brandalizze, que fará palestras todos os dias sobre cenários e perspectivas ao agronegócio. (Foto: Embrapa)