Carros elétricos impulsionam novas profissões e tecnologias

Imagem: reprodução

As vendas de veículos elétricos no Brasil bateram recorde em 2020 e o mercado deve crescer nos próximos anos. Pequenas e grandes montadoras têm investido na fabricação e a tendência é que os modelos se tornem mais acessíveis para o consumidor final. No Dia do Automóvel, comemorado nesta quinta-feira (13), o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) chama atenção para o relatório Profissões do Futuro – Setor automotivo e carro elétrico 2020/2034, que detalha as inovações e os impactos no mercado de trabalho.


“A análise é um desdobramento do Modelo de Prospectiva desenvolvido pelo Observatório Nacional da Indústria para prever as necessidades futuras de mão-de-obra na indústria brasileira. Nesse caso, o objetivo é antecipar inovações que irão se difundir no setor e permitir que as empresas mantenham sua mão de obra preparada para a manutenção dos veículos”, explica Rafael Lucchesi, diretor-geral do SENAI.


A ocupação mais impactada é a do Profissional em Manutenção Automotiva, que terá de estudar física, química, computadores e eletrônica para realizar atividades como checklist dos procedimentos de segurança, reparação de componentes com novas tecnologias e produção de peças em impressora 3D.

Ele deverá agregar ao seu know how conhecimentos sobre eletrônica de potência, nanotecnologia, nano compósitos, novos catalisadores, calibração de sensores e radares, e reconfigurações dos sistemas de interação com o usuário. Em um futuro não muito distante, o trabalho de manutenção se estenderá aos sistemas de navegação dos veículos autônomos.

Surgimento de novas profissões

Duas novas profissões devem surgir: o de Técnico de energias para o setor automotivo e o de Técnico em conectividade veicular. O primeiro tem como responsabilidades instalar sistemas de geração de energias; interpretar e executar projetos elétricos; configurar sistemas smart grids; instalar sistemas de recargas de veículos elétricos; e diagnosticar falhas em sistemas de geração de energias.

Já o Técnico em conectividade veicular deve realizar o diagnóstico e a reparação da conectividade e de controles interativos; a aplicação de procedimentos de segurança dos sistemas; a configuração de periféricos internos e externos; e a atualização de softwares dos sistemas. 

O especialista em prospectiva do SENAI Marcello José Pio destaca que o estudo traça o perfil completo dos profissionais ao listar as atividades, os conhecimentos, as habilidades e as capacidades que serão necessárias.  “São ocupações que envolvem noções de engenharia elétrica, mecânica, mecatrônica e telecomunicações, por exemplo, além de capacidades e habilidades como autocontrole, aprendizagem ativa, fluência digital, pensamento crítico e velocidade perceptiva”.

Agência de notícias CNI