Estudo mostra Paraná como exemplo mundial em desenvolvimento sustentável

Energia sustentável, proteção ambiental e redução de desigualdades. Esses são alguns aspectos que fazem do Paraná um exemplo mundial no desenvolvimento sustentável, destacados em um estudo de caso lançado nesta terça-feira (29) pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). A pesquisa analisa de que forma o Paraná aderiu e aplicou os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Organização das Nações Unidas (ONU) ao longo dos últimos dois anos.

A OCDE é uma organização internacional integrada por países-membros que se empenham em promover padrões internacionais que permeiam questões econômicas, financeiras, comerciais, sociais e também ambientais.

O estudo “Uma Abordagem Territorial para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável no Paraná” foi lançado durante a 4ª Mesa-Redonda da OCDE sobre Cidades e Regiões para os ODS, evento online realizado nesta terça-feira (29) e que continua na quarta (30). Além do Paraná, também foram lançados relatórios sobre a província de Córdoba, na Argentina, e da cidade de Kitakyushu, no Japão.

A pesquisa destaca que as políticas públicas do Paraná estão voltadas ao desenvolvimento sustentável desde a década de 1990. Nos últimos anos, o Estado passou a utilizar os ODS como guia para melhorar as áreas de saúde, educação e segurança, além de diminuir a desigualdade social entre diferentes partes do território.

Na apresentação dos relatórios durante o evento, o vice-secretário geral da OCDE, Ulrik Vestergaard Knudsen, destacou que o Paraná já é um exemplo contundente na área de energia renovável. “Cerca de 94% da energia consumida no Paraná vem de fontes renováveis, mais que o dobro da média das regiões da OCDE, que fica em 41%”, ressaltou o executivo.

Na parte ambiental, a pesquisa também aponta que os pontos fortes do Paraná são a qualidade do ar, a preservação da água e a proteção costeira. Neste último quesito, por exemplo, o Estado supera as médias da OCDE e do Brasil: enquanto o Estado tem 51% das áreas costeiras protegidas, o País tem 36% e a OCDE, 20%.

Outros destaques do Paraná em comparação a outros estados estão na educação, no mercado de trabalho e em indicadores econômicos, com uma performance que supera em mais de 70% a média brasileira.

Grande parte desses resultados é fruto da atuação do Conselho Estadual de Desenvolvimento Econômico e Social do Paraná (Cedes), órgão responsável pela implementação da Agenda 2030 no Estado. A vice-presidente do Cedes, Keli Guimarães, disse que a pandemia revelou a urgência da resiliência nas sociedades, já que os desafios globais só podem ser enfrentados com soluções locais. Nesse contexto, ela destacou a atuação rápida e eficaz do Paraná.

“O desempenho de nossa economia predominantemente agroindustrial e com importante atividade exportadora permitiu que, em 2020, fossem reduzidos os impactos da pandemia. Mas ainda há muito por fazer, e a Agenda 2030 representa uma oportunidade de potencializar impactos concretos na vida das pessoas”, afirmou Guimarães.

Foto: Jonas Oliveira/AEN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *