Filipe Barros quer unidade de pesquisa de mandioca da Embrapa em Paranavaí

O deputado Filipe Barros encaminhou indicação à ministra Tereza Cristina, da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, sugerindo que, através da Embrapa Mandioca e Fruticultura, seja criada uma Unidade Mista de Pesquisa e Transferência de Tecnologia (UMIPTT para a cultura de mandioca no Instituto Federal do Paraná (IFPR), em Paranavaí. Ele justifica a localização da unidade lembrando que a cidade está “no centro do maior polo produtor do Brasil e de transformação da mandioca para nosso país”.

No documento, o parlamentar lembrou que até o ano de 2008, as ações da Embrapa estavam direcionadas predominantemente para as regiões Norte e Nordeste do país. E só a partir de então, a Empresa começou a participar mais ativamente do cultivo da mandioca no Paraná, Mato Grosso do Sul e São Paulo, “que desenvolvem forte polo industrial, criando condições para pesquisar novas cultivares para a agroindústria, que levam menos tempo para se dar a colheita”.

Barros relata, ainda, que, para “o desenvolvimento de genótipos de novos cultivares, torna-se necessário uma estratégia logística específica de pesquisa e transferência de tecnologia para que, além de fomentar os estudos relacionados ao cultivo da mandioca, os genótipos cheguem rapidamente aos produtores com qualidade fitossanitária.

Desta concentração da atividade agroindustrial da mandioca no noroeste do Paraná, lembra o deputado, surgiu a necessidade de que pesquisadores da Embrapa Mandioca e Fruticultura fossem transferidos para Londrina, ficando alocados na Embrapa Soja. Embora tenha sido um avanço, a verdade é que, diz ele, ainda está distante da área produtiva de Paranavaí e do Noroeste do Paraná.

EMENDA – A correspondência à ministra Terezinha Cristina foi enviada em março deste ano e mais recentemente, o deputado Filipe Barros encaminhou ofício à presidência da Embrapa, informando que apresentou emenda ao Orçamento Geral da União, destinando R$ 400 mil para as pesquisas de mandioca na região de Paranavaí.

Apontou a necessidade de estar atento a abertura dos prazos para ter acesso aos recursos e cobrou o atendimento de sua reivindicação.

O deputado avalia que os pesquisadores das Embrapa estando na área de produção terão melhores condições de dar atendimento aos produtores e verificar as reais necessidades das indústrias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *