Foz do Iguaçu busca selo halal para atrair mais turistas muçulmanos

Na retomada pós-pandemia, Foz do Iguaçu quer aproveitar a forte presença da comunidade islâmica na tríplice fronteira – só no lado brasileiro são mais de 25 mil imigrantes e descendentes – para impulsionar o fluxo de turistas do oriente médio e de outros países muçulmanos.

A cidade do Oeste do Paraná se encaminha para ser o primeiro destino turístico do país com certificado halal reconhecido. No último dia 12 o governador Ratinho Jr. assinou na Expo Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, um protocolo de intenções para adequar a estrutura turística de Foz do Iguaçu aos preceitos dos seguidores do Islã. Certificadores de alimentos halal que já atuam no Brasil garantem que as adaptações são simples e baratas, com grande potencial de retorno econômico.

‘Halal’ é uma palavra árabe que significa ‘permitido, autorizado pelo islamismo’ e a certificação assegura o cumprimento de normas e procedimentos que respeitam a religião.

Entre esses procedimentos está, por exemplo, a disponibilização nos hotéis de espaços reservados e sinalizados para a prática de orações voltadas para Meca, a cidade sagrada dos muçulmanos, e a oferta de uma cópia do Alcorão, o livro sagrado do Islã, nas acomodações.

Além disso, há aspectos também relacionados à alimentação. A carne servida ao povo árabe tem que ser procedente de animais abatidos de acordo com as normas halal, em abatedouros certificados. E o consumo de carne suína é proibido.

Na quinta e sexta-feira (28), representantes da Câmara de Comércio Árabe-Brasileira e da Certificadora do Centro de Divulgação do Islã para a América Latina (Cdial) cumpriram um roteiro de reuniões em Foz do Iguaçu com o poder público, entidades privadas e lideranças locais para dar início ao trabalho que vai culminar com a certificação.

“Foz do Iguaçu tem todas as condições, como poucas cidades do Brasil, para atingir a excelência em serviços de atendimento ao turista muçulmano”, destaca Ali Saifi, CEO da Cdial Halal. Segundo ele, a cidade já tem a segunda maior comunidade muçulmana do Brasil e, por isso, já conhece, segue e respeita várias tradições dessa população. Cerca de 8% da população de Foz do Iguaçu tem origem árabe e a cidade já tem duas mesquitas.

Continue lendo em: Gazeta do Povo

Foto: Marcos Labanca