Google homenageia os 100 anos de Paulo Freire

O pedagogo Paulo Freire foi homenageado pelo Google em todos os países neste domingo (19/09) pelo centenário de seu nascimento.

Brasileiro de Recife (PE), Freire é o intelectual mais lido, citado e estudado nas academias de todo o mundo.

Seu método de alfabetização segundo qual ‘a educação como prática da liberdade’ é festejado nos quatro cantos do planeta. Ele usava as experiências do sujeito e o fazia protagonista com as suas próprias experiências vividas.

Paulo Freire utilizou o método de alfabetizar e conscientizar jovens e adultos como prática da liberdade e do direito do homem se tornar cidadão do mundo, por isso é considerado um grande libertador.

A justa e importante homenagem do Google reconhece a importância de Paulo Freire de para a educação em todos os países do mundo.

Quem é Paulo Freire?
Conhecido principalmente pelo método de alfabetização de adultos que leva seu nome, Paulo Freire acreditava que o objetivo maior da educação é conscientizar o aluno, levá-los a entender sua situação de oprimido e agir em favor da sua própria libertação.

Ao propor uma prática educacional que possibilitasse desenvolver o senso crítico dos alunos, Freire se opunha ao ensino oferecido pelas escolas tradicionais, no qual o professor deposita conhecimento em uma aluno receptivo, mas não participativo. Para ele, esse tipo de ensino matava nos educandos a curiosidade, o espírito investigados e a criatividade, o acomodando no mundo. Já a educação defendida por Freire tem a intenção de inquietá-los.

Para o professor, Paulo Freire propõe um papel diretivo e informativo, de forma que o mesmo não renuncie ao seu papel de autoridade em sala de aula. Para ele, o educador deve levar os alunos a conhecerem conteúdos sem tê-los como verdades absolutas. “Os homens se educam entre si, mediados pelo mundo”, dizia.

Segundo Freire, o aluno, alfabetizado ou não, chega a escola com uma bagagem cultural, que não pode ser colocada em posição de inferioridade ou superioridade frente a bagagem cultural do seu educador. Ele propõe que, em sala de aula, professor e aluno aprendam juntos através de uma relação afetiva e democrática, na qual todos tenham garantida a possibilidade de se expressarem.