Melhor cidade para se viver do Brasil, Maringá será transformada em Smart City

foto: reprodução

Conhecida por suas oportunidades e pela qualidade de vida, a jovem cidade Maringá despontou novamente em 2021, como a melhor para se viver do Brasil. A constatação é da consultoria Macroplan, que se baseou no Índice dos Desafios da Gestão Municipal.

“Os maringaenses têm muitos motivos para se orgulhar da cidade onde vivem”, comenta o prefeito Ulisses Maia. Maringá foi destaque nacional em 2021, pela qualidade do saneamento básico. De acordo com o Instituto Trata Brasil, a cidade ficou em 2º lugar no Ranking Nacional de Saneamento, entre os 100 maiores municípios brasileiros.

Mesmo em meio ao período mais desafiador da história da cidade, gerado pela pandemia do coronavírus que trouxe à população muitas dificuldades, Maringá continua evoluindo e ganhando destaque em diversos indicadores. Reflexo do senso empreendedor dos maringaenses, aliado à união da sociedade e ao trabalho intenso da gestão municipal, a cidade manteve a economia fortalecida e o bem-estar da maioria da população.

O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) da cidade é de 7.2, enquanto a média nacional é de 5.2 e o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é acima da média latino-americana. Maringá também cresce exponencialmente em seu polo industrial e no agronegócio. A cidade é a 2ª maior exportadora do Paraná e a 9ª do País. No ano passado, 113 empresas exportaram U$2,3 bilhões para destinos como Irã, China, Japão e Coreia, em 2020.

A Prefeitura está desenvolvendo um projeto para transformar Maringá em uma Smart City, uma cidade inteligente e cosmopolita. O plano prevê a oferta de wifi para a população, acesso online a serviços públicos e, com isso, facilitar a vida dos cidadãos.

Também existem projetos para investimentos em programas de formação de novos talentos na área da tecnologia.O município dedicou uma área de 170 mil metros quadrados para abrigar o futuro parque de Tecnologia da Informação. O setor conta com mais de 400 empresas que, juntas, faturam mais de R$ 1 bilhão por ano. O futuro Parque de TI deve gerar mais de 400 novos empregos, com salários acima da média do mercado, e atrair profissionais de diferentes estados brasileiros.

Fonte: Pedro Ribeiro, Paraná Portal