Michele Caputo pede que Estado compre vacinas para antecipar imunização de grupos prioritários

O deputado Michele Caputo (PSDB) enviou expediente nesta segunda-feira, 8, ao chefe da Casa Civil, Guto Silva, sobre a possibilidade do Governo do Paraná adquirir por conta própria vacinas contra o coronavírus. A medida complementaria o plano nacional de imunização, antecipando a vacinação de diversos grupos prioritários – como o de professores, por exemplo.

Para isso, o Governo do Estado teria recurso disponível. “No ano passado, colocamos R$ 100 milhões do orçamento da Assembleia Legislativa, depois aprovamos mais R$ 100 milhões no orçamento deste ano para este fim. Portanto, o Paraná tem hoje pelo menos R$ 200 milhões para compra de vacinas contra a covid-19”, disse.

Michele Caputo afirma que o momento é de negociar com as indústrias farmacêuticas, tendo em vista que a oferta de vacinas ao Brasil está sendo ampliada,  principalmente depois da decisão da Anvisa de retirar a necessidade dos testes de fase 3 (de comprovação da eficácia) no Brasil para liberação de uso emergencial. “A decisão da Anvisa vai beneficiar, por exemplo, a vacina russa [Sputnik V], que vai ser produzida pela União Química e que vai estar rapidamente à disposição. Isso também vale para a COVAXIN, entre outras “, relatou.

O deputado, que também é coordenador da Frente Parlamentar do Coronavírus, afirma que há uma necessidade grande de agilizar a oferta de doses aos paranaenses, visto que só com a vacinação em massa será possível preservar vidas e recuperar a economia. “Se continuarmos neste ritmo que o programa nacional de imunização mostra, vamos estar entrando com certeza absoluta (com a vacinação) em 2022”.

Prioritário – Com a volta às aulas presenciais, argumenta Michele Caputo, o governo deve priorizar também os professores das redes pública e privada de ensino. “Já iniciamos (a vacinação) com os profissionais de saúde e começou agora por faixa etária, com os idosos de 90 anos ou mais. Precisamos saber se tem essa possibilidade de aquisição de vacinas pelo governo do Paraná”.

Em seu discurso na Assembleia, Caputo reforçou ainda a preocupação levantada pelo deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB) sobre a necessidade de correção da discrepância do Ministério da Saúde que enviou aos estados de Pernambuco – com dois milhões a menos de habitantes – e Rio Grande do Sul-  com população similar – mais vacinas do que ao Paraná. “Essas distorções precisam ser esclarecidas e corrigidas. Já não basta essa lentidão no acesso comparado ao resto do mundo. Israel já começou a vacinar as pessoas com 16 anos e nós estamos na faixa dos 90”, disse.

Pedágio –  Michele Caputo também cumprimentou os deputados da frente parlamentar que está discutindo o novo modelo de pedágio. “Eu faço parte da frente e acompanhei a audiência pública de Cascavel e soube que Foz do Iguaçu girou no mesmo tom. A ampla maioria dos deputados da frente é a favor da licitação por menos preço e contra a maior parte dos aspectos propostos pelo governo federal nessa questão. Pretendo estar presente na audiência pública desta quinta-feira (11) em Londrina”, destacou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *