Michele Caputo se reúne com Dória e conhece estrutura paulista de combate ao coronavírus

O deputado Michele Caputo (PSDB) se reuniu nesta sexta-feira, 27, com governador João Dória (PSDB), no Palácio Bandeirantes em São Paulo, e conheceu a estrutura paulista de enfrentamento ao coronavírus. No encontro, também foi apresentada a estratégia que São Paulo tem adotado para conter a taxa de transmissão de COVID-19 no Estado.

“Vi de perto a moderna sala de situação que foi montada ao lado do gabinete do governador, com presença permanente de especialistas de diversas áreas. Ela dá em tempo real as questões de ordem econômica, sanitária, social, com um sistema inteligente que monitora todas as regiões de saúde de São Paulo, fazem levantamentos online, pesquisas com os cidadãos.”, disse Michele Caputo, coordenador da Frente Parlamentar do Coronavírus no Paraná.

De acordo com Dória, a proposta da sala de situação é justamente ter um panorama geral dos impactos da pandemia em todo o Estado, usando tecnologia da informação à serviço da gestão. “Tudo isso nos subsidia para a tomada de decisão. Adotamos uma conduta extremamente técnica, ouvindo os especialistas e respeitando sempre a ciência”, declarou o governador paulista durante o encontro.

Como funciona – O monitoramento da sala de situação, segundo Caputo,  orienta o que abrir e o que não abrir no comércio, mostra o que as pessoas estão fazendo quando saem do isolamento, quais os motivos que levam elas a fazer o isolamento. “Esse monitoramento é controlado por gráficos divididos por região e municípios do estado. Isso é mecanismo de gestão”.

Caputo reitera que em São Paulo, assim como a maioria dos estados brasileiros, as regiões são diferentes, os contágios acontecem de forma não uniforme. “Neste momento informação correta e clara é uma excelente arma contra esse vírus. Um dos pontos fortes deste trabalho feito pela sala de situação é a transparência dos números e das ações. Prova disso, é que o governo estadual faz coletiva de imprensa praticamente todo dia e inclusive com a presença do governador”.

Vacinas – Em São Paulo, Michele Caputo esteve ainda no Instituto Butantã, parceiro do Sinovac na produção da vacina contra a Covid-19, e com a direção brasileira da farmacêutica Pfizer que também está em estágio avançado na produção de imunizante. Ambas devem ser aprovadas na Anvisa nas próximas semanas e podem estar à disposição do poder público a partir de janeiro.

Na próxima semana, está prevista  uma outra visita técnica à fábrica de vacinas da Fiocruz, no Rio de Janeiro. A ideia é buscar detalhes sobre a vacina de Oxford, em parceria com a AstraZeneca.

O Paraná tem à disposição R$ 200 milhões para adquirir vacinas por conta própria. A Assembleia Legislativa repassou R$ 100 milhões este ano e aprovou o orçamento de 2021 que prevê outros R$ 100 milhões para este fim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *