Ministro Barroso defende semipresidencialismo e critica voto impresso

O ministro Luís Roberto Barroso, presidente do Tribunal Superior Eleitoral, voltou a criticar a proposta de voto impresso, destacando que ‘a história brasileira com o voto em papel é trágica’ e reagindo à ‘campanha de desinformação’ contra as urnas eletrônicas. O ministro ainda defendeu que o Brasil adote um modelo de semipresidencialismo – similar ao de países como Portugal e França-, com a eleição de um presidente e um primeiro-ministro indicado por este, para controlar o que chamou de ‘hiperpresidencialismo’.

“A história da América Latina tem sido uma história de alternância de regimes autoritários com governos que precisam de maioria para a sustentação política. O semipresidencialismo é a inovação que deveríamos implantar no Brasil em 2026”, indicou.

Imagem: Nelson Jr/STF

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *