No Paraná, 500 mil famílias podem ser atendidas pelos benefícios sociais do governo federal

O deputado Fernando Giacobo (PL) reafirmou neste sábado, 16, que mais de 500 mil famílias paranaenses podem ser atendidas pelo Auxílio Brasil de R$ 600 por cinco meses através dos benefícios sociais previstos na PEC promulgada pelo Congresso Nacional. “Esse número faz parte do cadastro de janeiro, mas este auxílio é fundamental para as famílias mais pobres durante a retomada da atividade econômica até o final do ano”, disse

“Quem é contra é porque não tem coração e só pensa em eleição, estamos em uma situação de emergência”, completa Giacobo às críticas pela aprovação de medidas que garantem R$ 41,2 bilhões que serão distribuídos mensalmente até dezembro.

Giacobo destaca ainda que a PEC destina R$ 500 milhões para reforçar o programa Alimenta Brasil que compra alimentos de agricultores familiares, extrativistas, pescadores artesanais, povos indígenas e demais populações tradicionais para distribuí-los a famílias de baixa renda.  

Auxílios – Pela PEC promulgada, o Auxílio Brasil foi ampliado de R$ 400 para R$ 600 mensais e previsão de cadastro de 1,6 milhão de novas famílias no programa (custo de R$ 26 bilhões). O vale gás, a cada dois meses, vai repassar R$ 112,60 (R$ 1,05 bilhão) para compra de botijão de 13 quilos de 6,5 milhões de famílias. Os caminhoneiros autônomos, cerca de 900 mil, vão receber um voucher mensal de R$ 1 mil (custo de R$ 5,4 bilhões)

Os taxistas vão receber também um auxílio, valor ainda não definido,que no total está previsto em até R$ 2 bilhões. Estados e municípios vão receber R$ 2,5 bilhões como compensação para garantir o transporte gratuito de idosos acima dos 65 anos.

“O presidente Bolsonaro está correto em garantir esses auxílios que vão ajudar as famílias mais pobres, os caminhoneiros e os taxistas nos próximos cinco meses. Às vezes, não para entender. Se não faz, o chamam de inoperante, se faz, dizem que não pode porque é período eleitoral. Ora, vão cachimbar formiga e deixem o presidente trabalhar”, afirmou Giacobo sobre os críticos dos auxílios durante encontro com agricultores do oeste do Paraná.