Nova empresa assume ferry boat

O diretor-geral do Departamento de Estradas de Rodagem (DER/PR), Fernando Furiatti, anunciou nesta quarta-feira (9) o contrato de caducidade com a atual concessionária que opera a travessia.

A empresa Internacional Marítima, que faz a travessia em Salvador (BA), Guarujá (SP) e São Luiz (MA) vai realizar a travessia na baía de Guaratuba forma emergencial por seis meses, até ser aberta uma nova licitação, informou o DER.

“Vai ser uma operação emergencial porque vínhamos tentando que a concessionária que está lá cumprisse tudo o que estava no edital para o qual ela foi contratada. Após não termos sucesso administrativamente, chegamos à caducidade do contrato. Com isso, à 0h01 entraremos com uma nova empresa, por um período de seis meses”, afimou Furiatti. “Ela vai fazer a operação e também os investimentos necessários para que continue sendo uma travessia segura para os usuários que passam por Guaratuba e Caiobá”.

A nova empresa já está no Litoral do Paraná para fazer a transição da operação, sem haver a paralisação do serviço. Ela entra imediatamente para estabelecer as condições de trafegabilidade no local. O valor da tarifa continua R$ 8,90. Segundo o DER, neste primeiro momento, a companhia vai operar com os três ferry boats do Estado, com uma balsa extra que já tem disponível, mas irá contratar novas embarcações. A balsa e o rebocador da BR Travessias deve ser alugado para a Internacional Marítima

“Buscamos o histórico da empresa e ela tem, sim, capacidade de fazer a travessia”, pontuou o diretor-geral. “Ela está atrás de empresas que têm balsas e rebocadores na região para que cumpra o compromisso de fazer uma travessia segura para todos que vão para a região”.

Ainda segundo Furiatti, a nova operadora já sinalizou que vai manter os funcionários que já trabalham no ferry boat e conhecem a travessia da Baía de Guaratuba, além de contratar mais profissionais. Ele ressaltou, ainda, que a Internacional Marítima será responsável pela manutenção dos atracadouros, serviço que não foi feito pela empresa anterior.

“O contrato emergencial serve para que tenhamos tempo de elaborar uma nova licitação, uma nova modelagem e para colocarmos na praça uma concessionária operando definitivamente na Baía de Guaratuba”, disse.