Nova variante encontrada em Manaus pode deixar o coronavírus ainda mais infeccioso

Cientistas de dez instituições analisaram amostras de pacientes infectados e descobriram que 42% dos casos foram provocados por essa nova variante.

Uma nova variante do coronavírus foi detectada na cidade de Manaus, no estado do Amazonas.

Cientistas de dez instituições, entre elas o Imperial College London e a Universidade de Oxford, ambas na Inglaterra, e o Instituto de Medicina Tropical da Universidade de São Paulo, publicaram um artigo descrevendo casos dessa nova variante, que recebeu o nome de P.1.

É esperado que, durante uma pandemia, o vírus sofra mutações conforme é transmitido de pessoa para pessoa.

O monitoramento dessas alterações no código genético ajuda a acompanhar os casos preocupantes e eventualmente tomar medidas que bloqueiem a cadeia de transmissão.

O que chama a atenção no caso desta variante manauara é que as mudanças ocorreram nos genes que codificam a espícula, a estrutura que fica na superfície do vírus e permite que ele invada as células do nosso corpo.

Isso pode deixar o coronavírus ainda mais infeccioso.

Os cientistas analisaram o material genético de 31 amostras de pacientes com covid-19 na cidade de Manaus. Esse material foi colhido entre os dias 15 e 23 de dezembro. Desses, 13 indivíduos (ou 42% do total) apresentavam justamente essa nova linhagem.

Alguns dias antes, o Japão havia anunciado a detecção de uma nova cepa de coronavírus em pessoas que viajaram do Brasil para lá. Tudo indica que essa mutação encontrada no país asiático seja a mesma, que se originou na capital do Amazonas. A nova variante, inclusive, pode fazer com que países de várias partes do globo bloqueiem voos vindos do Brasil.

UOL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *