Palmas volta a decretar toque de recolher por conta da covid-19

O suporte psicológico será responsabilidade da Secretaria Municipal de Saúde e estará a disposição de todas as famílias Crédito: Divulgação/ Prefeitura de Palmas

Foi publicado no Diário Oficial nessa segunda-feira (10), o decreto 3.950 de Palmas, que volta a estabelecer restrições no município.

Entre as medidas adotadas, o toque de recolher da 0h às 5h, em espaços e vias públicas; e a proibição de eventos de qualquer natureza que resultem em aglomerações, tais como shows, rodeios, exposições, congressos, feitas e similares, tanto em ambientes públicos ou privados.

Segundo Rafael Barboza dos Santos, secretário Municipal de Saúde, os crescentes índices de síndromes respiratórias, contribuíram para a adoção das medidas. “Tivemos um aumento substancial de síndromes respiratórias neste início do ano. Os registros não são apenas de casos de covid-19, mas também em virtude da influenza”, comenta lembrando, “vínhamos de boletins com casos zerados, e fomos surpreendidos com uma onda de casos positivos.”

Ele pondera que da segunda-feira (3), até ontem, mais de 600 pessoas foram testadas em município. No mesmo período, 193 novos casos de covid-19 foram confirmados. “Estamos com testagem em massa na unidade sentinela, assim, o paciente que confirmar para covid, já entra no protocolo e isolamento. E se não confirmar para covid, ele entra no protocolo da influenza”, descreve o secretário.

Com relação ao toque de recolher e outras medidas adotadas pelo Município, Rafael pontua que são para “conter a circulação de forma desnecessária de pessoas na rua”. Ele lembra o alto contágio da variante Ômicron e pondera, que por mais que o Estado não tenha declarado ainda a transmissão comunitária desta variante no Paraná, sabemos que a alta transmissibilidade é assim como a da gripe.

“Aonde conseguirmos de alguma forma estratégias para diminuir a circulação, vamos fazer”, pontua Rafael, que saliente que os casos registrados nos últimos dias no município todos são de sintomas leves, sem internamentos.

Ele também afirma acreditar que a vacinação contra a covid-19, vem sendo uma grande forma de bloqueio para casos mais severos.

Unidade sentinela

Rafael comenta que mesmo com a baixa dos casos no segundo semestre de 2021, o Município não desfez a estrutura. “Mesmo quando os números eram baixos, mantivemos a estrutura e agora com o aumento exponencial dos casos ampliamos o número de equipes e o horário de atendimento”, destaca.

A unidade sentinela de Palmas e no antigo Pronto Atendimento e mantém atendimento das 9h às 21h, em todos os dias.