Paraná tem melhor saldo na geração de empregos desde 2011

Confirmando a tendência dos meses anteriores, o Paraná fechou os primeiros cinco meses do ano com o melhor saldo na geração de empregos desde 2011, além do segundo melhor resultado para maio no mesmo período. No acumulado do ano foram abertas 103.432 vagas com carteira assinada no Estado, número muito superior ao registrado entre janeiro e maio de 2020, durante o momento mais restritivo da pandemia, que teve saldo negativo de 47.696 vagas.

Os dados foram levantados pelo Departamento do Trabalho e Estímulo à Geração de Renda, da Secretaria de Estado da Justiça, Família e Trabalho, com base no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia, e levam em consideração as mudanças metodológicas do levantamento nacional.

O Paraná teve resultados positivos em todos os meses de 2021, além de recordes na geração de empregos formais no primeiro trimestre e no primeiro quadrimestre do ano. Em janeiro, foram criados 34.342 postos de trabalho; em fevereiro, 41.616; em março, 11.507; e em abril 10.019. Com as 15.884 vagas abertas em maio, o Estado teve o melhor desempenho na Região Sul e quarto melhor do País.

Com relação aos primeiros cinco meses, o melhor saldo até então tinha sido em 2011, com 86.308 vagas abertas, uma diferença de quase 20% com o período atual. O resultado deste ano também marca a grande retomada dos últimos 11 anos e a primeira vez em que o Estado ultrapassa a marca de 100 mil vagas formais.

“A geração de empregos esteve em alta em todos os meses do ano no Paraná, superando inclusive os patamares pré-pandemia. São resultados que mostram a força econômica do Estado e o quanto o povo paranaense é trabalhador”, afirma o governador Carlos Massa Ratinho Junior. “O Governo do Estado tem feito sua parte para alcançar esse resultado, com programas de estímulo às atividades mais afetadas pela pandemia e à atração de novos investimentos ao Paraná”.

O secretário estadual da Justiça, Família e Trabalho, Ney Leprevost, também destacou o papel das Agências do Trabalhador na intermediação entre empregadores e trabalhadores. “Agradeço a confiança das empresas que investem no Paraná e a dedicação de todo nosso time das 216 Agências do Trabalhador. Emprego com carteira assinada é o melhor de todos programas sociais”, salientou.

MAIO – Além do acumulado do ano, o mês de maio também foi um dos melhores da história do Estado na abertura de vagas formais, ficando atrás apenas de maio de 2011, quando foram criados 16.789 postos. O pior resultado para o mês foi no ano passado, quando as restrições da pandemia derrubaram o saldo de empregos. Em maio de 2020, foram 23.856 perdas entre pessoas demitidas e contratadas.

Nos anos anteriores, mesmo com resultados positivos em quase todos, houve redução gradual no saldo de vagas para o mês: foram 11.738 em maio de 2012; 9.713 em 2013; 6.840 em 2012; -1.361 em 2015; -3.388 em 2016; 2.379 em 2017; 1.798 em 2018; e 1.431 em 2019.

SETORES – A indústria puxou a abertura de vagas, com a criação de 27.991 vagas no acumulado do ano. Com exceção do segmento de alojamento e alimentação, que teve saldo negativo de 983 vagas, todos os demais setores contrataram mais do que demitiram no período.

Também apresentaram alta o comércio e os negócios de reparação de veículos automotores e motocicletas (15.048); as empresas de informação, comunicação e atividades financeiras, imobiliárias, profissionais e administrativas (14.782); construção (13.617); administração pública, defesa e seguridade social, educação, saúde humana e serviços sociais (8.962); agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura (3.901); transporte, armazenagem e correio (3.001); outras atividades e serviços (1.132); artes, cultura, esporte e recreação (22); e serviços domésticos (11).

Foto: Geraldo Bubniak/AEN