Pfizer vai avaliar impacto da vacina na população acima de 12 anos de Toledo

A farmacêutica Pfizer vai avaliar o impacto da vacinação em massa contra covid-19 na população acima de 12 anos no município de Toledo, no Paraná. Todas as pessoas que buscarem o sistema de saúde com sintomas suspeitos devem ser convidadas a participar do estudo. A ideia é entender o comportamento da doença em um cenário de vida real.

A líder da Área de Vacinas da Pfizer no Brasil, Júlia Spinardi, explicou que a escolha foi pela posição geográfica, pela estabilidade de casos e pela possibilidade da parceria com a Universidade Federal do Paraná, que tem um campus em Toledo. De acordo com o prefeito Luis Adalberto Pagnussatt, quase 98% da população a partir de 12 anos, cerca de 121 mil pessoas, recebeu a primeira dose.

O pesquisador Regis Goulart Rosa, do hospital Moinhos de Vento, que também participa da pesquisa, disse que estudos de mundo real são importantes porque avaliam na prática a eficácia da vacina contra covid. Ele destacou o longo tempo de acompanhamento dos participantes, que deve durar um ano, e a oportunidade de responder dúvidas que persistem sobre a doença.

As pessoas que participarem do estudo serão divididas em dois grupos. Um com diagnóstico positivo para covid-19, e um com resultado negativo, que se torna o grupo de controle. Os pesquisadores então vão buscar o histórico do paciente para avaliar o status vacinal e relacionar com os sintomas identificados.

O estudo vai avaliar ainda a ocorrência de variantes. Além disso, os pesquisadores querem entender o impacto da vacina da Pfizer na hospitalização de pacientes, na necessidade de UTI e ventilação mecânica, na mortalidade, na qualidade de vida e, também, na possibilidade de uma segunda infecção pelo coronavírus.

Agência Brasil/Foto: Giovana Albuquerque