Romanelli apoia PEC da Língua Espanhola

O deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB), um dos autores da PEC que institui o ensino do espanhol nas escolas públicas no Paraná, disse nesta segunda-feira, 2, que o aprendizado da língua é muito importante do ponto de vista cultural, de identidade latino americana e até para a formação profissional. “O espanhol é a quarta língua mais falada no mundo, são 585 milhões de pessoas, 210 milhões delas na América do Sul. Dos 12 países do continente, apenas o Brasil fala o português num universo de 423 milhões de pessoas”, disse.

A língua espanhola, afirma Romanelli, é ainda a segunda em relevância comercial, idioma oficial de 21 países, destes, 19 deles estão localizados na América, sete são fronteira com o Brasil e dois com o Paraná. Também é língua de estudo de mais de 22 milhões de alunos em 110 países, inclusive na China e no Japão, que são os principais países parceiros do Brasil em transações comerciais fora da América Latina. Os números são do movimento #FicaEspanhol de abrangência nacional.

A Proposta de Emenda Constitucional, do deputado Arilson Chiorato (PT), está em análise na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa. “O aprendizado da língua espanhola vai aumentar as oportunidades profissionais, culturais e sociais dos estudantes da rede pública estadual”, afirma Romanelli.

Fica espanhol
A medida, conforme a proposta, será válida do ensino fundamental II até o final do ensino médio e as aulas ocorreriam durante as atividades regulares, com um mínimo de 2 horas/aula por semana. A proposta é assinada ainda por mais 17 deputados e aguarda parecer da CCJ que deve aprovar a admissibilidade do documento para seguir a tramitação no legislativo.

O debate da inclusão do idioma na grade curricular acontece em nível nacional, através do movimento #FicaEspanhol. Alguns estados, como o Rio Grande do Sul, Rondônia e Paraíba já aprovaram a inclusão. Nos estados de Santa Catarina, São Paulo, Pernambuco, Ceará, Rio de Janeiro, Piauí, Goiás, Minas Gerais, Pará e Mato Grosso tramitam proposições (projetos de lei e PECs).

Atualmente, a maioria das escolas do Paraná garante, na grade curricular e no horário regular de aula, o ensino de uma única língua estrangeira (inglês) e realiza a oferta de espanhol e de outros idiomas por meio do Celem, no contraturno. Este horário inviabiliza o acesso da maioria dos alunos que, por diversas razões, não pode comparecer à escola ou fazer o curso na modalidade remota em horário diferente.