Suspensão da vacina para adolescentes não tem pé nem cabeça, afirma Romanelli

O deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB) afirmou nesta sexta-feira, 17, que a sociedade brasileira precisa se indignar e cobrar uma explicação razoável para a suspensão da vacinação de adolescentes de 12 a 17 anos, anunciada pelo Ministério da Saúde. Romanelli criticou a medida, sustentando que o governo federal tem que demonstrar se a decisão é técnica ou política.

“A suspensão da vacina para adolescentes não tem pé nem cabeça”, disse Romanelli, em Cornélio Procópio, nas entrevistas nas rádios FM104 e Graúna. “Não dá para aceitar isso. Vacina é fundamental e há doses disponíveis. Ela salva vidas”, ponderou. “Havia grande expectativa dos adolescentes e todos foram surpreendidos com a suspensão”.

Segundo Romanelli, está evidente que o presidente Jair Bolsonaro fez mais uma interferência política no programa de imunização e o Brasil não pode aceitar esta atitude. “É uma indignidade este tipo de comportamento”, afirmou. “O presidente quer sabotar a vacina que pode salvar a vida dos adolescentes?”, questionou. “Tem que tirar isso a limpo”.

Para o deputado, a decisão de aplicar ou não a vacina cabe às famílias e não ao governo. “Eu defendo que a vacinação deve ser obrigatória. Isso protege toda a sociedade. A redução dos números de mortes e infecções mostra a importância da imunização”, frisou. “O fato concreto é que precisa dar um basta nesta interferência política no enfrentamento da pandemia”.

O deputado pontuou que decisões como esta revelam descontrole do governo e falta de capacidade de gestão por parte do presidente e da equipe. “Pelo que estou percebendo, o presidente não entende nada de nada. Não entende nem de economia e nem de saúde”, ressaltou. “A pandemia não acabou e não podemos ser surpreendidos com a suspensão do direito dos adolescentes de tomar a vacina”.