Na Expo Dubai, Paraná vai mostrar ao mundo seu potencial e atrair investimentos

A partir do próximo domingo, 10 de outubro, o Governo do Paraná vai encarar o desafio de mostrar ao mundo todo o seu potencial logístico, econômico, turístico e sustentável. O Estado representará o Brasil na Expo Dubai 2020, a maior feira de exposições do mundo, que acontece nos Emirados Árabes Unidos. A missão é denominada Paraná Business Experience 2021.

A organização do evento espera receber 25 milhões de visitantes durante seis meses de feira. São mais de 190 países compartilhando suas soluções de tecnologia, inovação e sustentabilidade. Os países serão divididos em três distritos: Oportunidade, Mobilidade e Sustentabilidade.

O Paraná assume o protagonismo do Pavilhão Brasil, inserido no distrito da Sustentabilidade, logo nos primeiros dias de feira. É uma chance inédita de divulgar para o mundo o agronegócio, a inovação, a tecnologia, o potencial dos municípios e o compromisso com projetos, programas e ações sustentáveis, dentro da Agenda 2030.

Para o governador Carlos Massa Ratinho Junior, que é o líder da missão Paraná Business Experience 2021, a feira é um celeiro de oportunidades para atrair negócios e investimentos. Em paralelo à agenda formal no pavilhão de exposições, a comitiva do Estado se reunirá com empresas, empresários, fundos de investimento e diplomatas para apresentar as grandes concessões e acelerar o projeto de transformar o Paraná em um hub logístico da América do Sul.

“Essa é a maior feira de exposições do mundo e uma ótima oportunidade par apresentar nosso potencial. Não vamos fazer uma única apresentação, mas buscar a chance de fechar novos negócios diariamente ao longo de uma semana. Queremos trazer investimentos, indústrias, parceiros, e que os empresários paranaenses que vão acompanhar o evento também possam vender seus produtos para outros países. Estamos levando a maior comitiva da iniciativa privada da história”, afirma o governador.

Ratinho Junior pretende mostrar aos investidores estrangeiros como o Paraná se reinventou durante a pandemia, mantendo o crescimento mesmo em meio às dificuldades econômicas e sanitárias. Uma das respostas para o enfrentamento da crise foi a continuidade dos investimentos públicos e a geração de emprego. O Paraná criou mais de 150 mil postos de trabalho com carteira assinada em 2021, melhor desempenho dos últimos 18 anos.

“É uma oportunidade para apresentar nosso agronegócio, o parque automotivo, as belezas naturais e um ecossistema de inovação com empresas que faturam bilhões. A pandemia não paralisou o Paraná. Alcançamos um status sanitário internacional para as carnes, temos cooperativas projetando investir R$ 30 bilhões nos próximos anos. E não podemos parar. É o momento de falar com o mundo de forma clara, objetiva e fazer negócios”, explica.

COMITIVA – A comitiva irá a Dubai é composta por representantes do poder público estadual, de municípios paranaenses e de empresas que almejam expor sua marca e captar novos investimentos no Exterior – elas também são as patrocinadoras da missão.

Para Eduardo Bekin, diretor-presidente da Invest Paraná, a feira de Dubai possibilita mostrar ao mundo o olhar do Paraná, exemplo global de sustentabilidade, segundo a OCDE, sobre infraestrutura, desenvolvimento aliado ao compromisso ambiental e conexão entre os setores público e privado, com um polo acadêmico e de inovação totalmente interligados em dezenas de municípios.

“Tivemos a oportunidade de convidar empresários para as rodadas de negócios, previstas na exposição, com a intenção de criar possibilidades. O Paraná vem se destacando a cada dia como o grande celeiro do Brasil e do mundo, com uma potente indústria da transformação principalmente na área da alimentação. No entanto, é importante se posicionar como um estado que produz com sustentabilidade. E nada melhor do que mostrar isso na Expo Dubai, uma feira internacional que consegue falar com todo o mundo ao mesmo tempo”, explica.

INFRAESTRUTURA – O Paraná também está levando para a feira mais de US$ 10 bilhões em projetos de infraestrutura, como concessões de rodovias e da Nova Ferroeste, além de oportunidades privadas na logística portuária e em áreas estratégicas como saneamento e energia renovável. As concessões de 3,3 mil quilômetros de rodovias estaduais e federais e de 1,3 mil quilômetros da ferrovia de Maracaju (MS) a Paranaguá vão ocorrer em 2022, na Bolsa de Valores.

AEN