Produção industrial do Paraná registra forte crescimento em março

Crescimento no primeiro trimestre de 2021 é de 9% em relação ao ano passado.

A produção industrial do Paraná, em março, teve alta de 12,3% na comparação com o mesmo mês de 2020. No Brasil, a elevação da atividade chegou a 10,5% no mesmo período. Santa Catarina registrou o melhor resultado do país, com alta de 36,5%. E, Rio Grande do Sul, 21%. Já na avaliação contra fevereiro deste ano, a indústria do estado registra queda de 1%. Em Santa Catarina e Rio Grande do Sul também houve retração, de 1% e 7,3%, respectivamente. Todos seguiram a tendência nacional. No Brasil, a produção encolheu 2,4% em relação ao mês passado. Os dados foram divulgados nesta terça-feira (11/5), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

“Em março do ano passado a indústria sentiu os primeiros efeitos do início da pandemia, com interrupção total de várias atividades. Neste ano, o mesmo mês teve um dia útil a mais do que no ano passado, o que também interfere no resultado”, explica o economista da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), Evânio Felippe.

No acumulado do ano, os resultados apontam para um maior vigor da atividade industrial no estado. O crescimento neste primeiro trimestre de 2021 é de 9% em relação ao obtido nos três primeiros meses do ano passado. Naquela época, a alta em relação ao primeiro trimestre de 2019 era de 2,6%. Paraná e São Paulo, empatados, têm o quarto melhor desempenho no Brasil, de janeiro a março. Santa Catarina lidera o ranking com 17,8% de crescimento, seguida por Rio Grande do Sul (12,3%) e Minas Gerais (9,1%). O resultado nacional acumulado este ano é de 4,4% no mesmo período.  Nos últimos 12 meses, a indústria do Paraná registra queda de 1% quando avaliada sua trajetória de produção.

Setores

Em março, das 13 atividades industriais acompanhadas pelo IBGE no Paraná, apenas a fabricação de papel e celulose teve desempenho ruim, queda de 6,2%. Os destaques foram o setor de madeira, alta de 58,9%, seguido por móveis (38,3%), produtos minerais não-metálicos (35,5%), fabricação de produtos de metal, exceto máquinas e equipamentos (31,5%), e produtos químicos, alta de 28,5%.

Setor de alimentos acumula queda de 4% no ano.

Neste primeiro trimestre do ano, quem tem contribuído com o crescimento da indústria no estado é o setor da madeira, que acumula alta de 32,7%. Seguido por fabricação de produtos de metal (31,7%), máquinas e equipamentos (28,6%), minerais não-metálicos (25,8%), moveleiro e fabricação de máquinas, aparelhos e materiais elétricos (ambos com 19,7%), borracha e material plástico (17,8%) e produtos químicos (16%). Entre os principais segmentos industriais do Paraná, alimentos acumula queda de 4%, seguido por papel e celulose (-1,9%). Já o automotivo, teve elevação de 4,4% no ano.

As informações são da Agência Fiep