Paraná já tem seis pré-candidatos ao Senado

É a cadeira do senador Alvaro Dias (Podemos) que está em jogo. Até agora, há seis nomes que aparecem no noticiário político como pré-candidatos à vaga. Imagem: Roque de Sá/Agência Senado

O primeiro nome é o do próprio senador Alvaro Dias, que estaria com forte disposição de permanecer no Senado. Ele teria um acordo para compor a chapa do governador Ratinho Junior (PSD), candidato à reeleição.

Outro pré-candidato é o atual secretário-chefe da Casa Civil do governo paranaense, o deputado estadual licenciado Guto Silva (PSD). Seu nome já foi lançado, no interior do Estado, em diversas ocasiões, por líderes políticos.

O deputado estadual Luiz Cláudio Romanelli (PSB) é outro político que já foi anunciado como pré-candidato à vaga de Alvaro Dias. Romanelli, que é o primeiro-secretário da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), tem feito reuniões políticas semanalmente em várias regiões do Estado.

Já o prefeito de Cascavel, Leonaldo Paranhos (PSC), anunciou, numa entrevista a uma emissora de rádio, que postula a indicação. Disse que, se Alvaro Dias não for candidato, ele se apresenta para tal. Caso contrário, vai buscar a vice de Ratinho Junior.

O ex-prefeito de Ponta Grossa, Marcelo Rangel (PSDB), teve seu nome lembrado para o Senado assim que terminaram as eleições municipais do ano passado.

Em Londrina, fala-se no nome do ex-deputado federal Alex Canziani, que está saindo do PTB.

Quem também manifestou desejo de concorrer é o deputado estadual Delegado Francischini (PSL). Mas como ele foi cassado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e está inelegível por oito anos, o desejo pode ter sido sepultado. Vai depender, em todo caso, de um recurso que o parlamentar vai apresentar ao Supremo Tribunal Federal (STF).