Renato Freitas protocolou a sua defesa prévia no Conselho de Ética

O vereador Renato Freitas (PT) protocolou nesta quinta-feira (17) a sua defesa prévia no Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara Municipal de Curitiba. O processo ético disciplinar (01/2022) analisa cinco representações que atribuem ao vereador Renato Freitas a quebra de decoro parlamentar pela participação no protesto contra o racismo no dia 5 de fevereiro, que terminou com a entrada dos manifestantes na Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, no Bairro São Francisco.

O vereador Dalton Borba (PDT), presidente do Conselho, explica o trâmite do processo, após depois de o parlamentar apresentar sua defesa prévia. “O Relator da matéria, vereador Sidnei Toaldo (Patriota), solicitará reunião do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar, em no máximo três dias úteis, para decisão sobre o arquivamento ou prosseguimento do feito, para definir as diligências necessárias para a instrução, e designação de data para reunião de instrução”, disse.

As cinco representações contra o vereador Renato Freitas pedem a pena máxima prevista no Código de Ética da Casa, que é a cassação do mandato do parlamentar. O relator do caso, durante a instrução do processo, pode decidir aplicar outras penalidades previstas no código, como a censura pública, a suspensão de prerrogativas regimentais, a suspensão temporária do mandato e até a absolvição, com a possibilidade de arquivamento das representações. O prazo máximo para a decisão do Conselho é de 90 dias úteis, podendo ser prorrogado por decisão do plenário pelo mesmo período, uma única vez.

O presidente do Conselho destacou também o processo de transparência na tramitação desse processo ético disciplinar (PED), que está disponível para consultas no Sistema de Proposições Legislativas da Câmara (SPL), com o código (502.00001.2022). “ O processo é público e está à disposição da comunidade. É uma medida que confere maior transparência aos atos do conselho de ética, todos os documentos relacionados ao caso e, a tramitação, o andamento dos prazos, podem ser consultados pela população”, esclarece.