Teto de gasto precisa ser revisto, diz Barros

O deputado Ricardo Barros (PP-PR), líder do governo na Câmara, defende que o Congresso reveja o teto de gastos públicos. Para ele, é preciso “rediscutir” a regra porque há “excesso de arrecadação” e o governo precisa gastar. Barros afirma que a alta do comércio eletrônico elevou a arrecadação pública, com emissão de nota fiscal obrigatória.

“Não falta dinheiro, mas obviamente temos o teto de gastos que nos impede de aplicar esse recurso”, afirmou ao Valor Econômico, em entrevista publicada nesta 2ª feira (3.jan.2022)….

“E tem a discussão como aconteceu agora na Bahia, com esse episódio da enchente: o governo tem necessidade de gastos, a população precisa e ele não consegue gastar o dinheiro. Fica no caixa e aí?” Em 2021, alterações no teto de gastos por parte do Congresso com a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) dos Precatórios, causou reações no mercado e no governo. O Ministério da economia perdeu 4 secretários do Tesouro Nacional. A debandada levou a queda da bolsa e alta do dólar na época, em outubro.

Mas Barros afirma que uma nova discussão do tema não criaria ruídos na economia brasileira. “O mercado tem clareza que a economia do Brasil vai muito bem”, afirmou.

Para ele, o que “atrapalha” o país é “pagar folha”. O deputado afirmou que o funcionalismo bem remunerado é algo bom, mas que sem os devidos mecanismos o profissional não consegue trabalhar. “É muito bom ter funcionalismo qualificado, bem remunerado, mas não adianta médico sem remédio, motorista sem combustível, pedreiro sem tijolo.”

Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil