Michele Caputo destaca exemplo de médico de Toledo

O deputado Michele Caputo (PSDB) usou as redes sociais, nesta quarta-feira, 3, para se solidarizar ao médico infectologista José Eduardo Panini, de Toledo, agredido ao defender o lockdown vigente desde sexta-feira, 26, no Paraná. A agressão aconteceu após o médico questionar um familiar que pretendia furar o isolamento para participar de uma balada no mesmo dia da publicação do decreto do governo estadual.

“É um exemplo de um profissional de saúde que procurou alertar um parente do perigo, neste momento de recrudescimento da pandemia, de não tomar todas as medidas de precaução, entre elas, evitar no máximo as aglomerações. Foi uma agressão estúpida movida pelo negacionismo que toma conta de parte da sociedade. Basta de negacionismo, é preciso acreditar na ciência e esperar pelas vacinas”, disse Michele Caputo. 

A região de Toledo tem 97% de ocupação dos leitos de UTI (Unidades de Terapia Intensiva) para covid-19, a maior taxa do estado. O médico compartilhou no Instagram uma foto com hematomas no rosto. A publicação teve milhares de  curtidas e  comentários de apoio. “O desânimo não vem! E junto com eles temos muita coisa boa, progresso, vacinas e tudo que vai fazer sairmos dessa pandemia! E aos trabalhadores da saúde muita força!”, escreveu.

O médico que atua na linha de frente de combate à covid-19 em Toledo, que já registrou 143 mortos pela doença, afirma que o caso reflete o que parte dos profissionais enfrenta no cotidiano: a negação das pessoas sobre a pandemia .”Isso é reflexo do negacionismo das pessoas. Elas negam o que acontece. Estamos vendo uma piora nos números e nada é feito e quando uma medida é tomada, a população não respeita. Tentamos ajudar os nossos familiares, mas nem eles conseguimos convencer. É algo frustrante, parece que estamos enxugando gelo”, lamentou.

A agressão foi registrada em boletim de ocorrência na Polícia Civil. O Conselho Municipal de Saúde criticou o ato contra o médico. “O conselho se manifesta com repúdio e pode que os autores sejam identificados e punidos. Aos profissionais de saúde que enfrentam as mais diversas dificuldades para atender toda a população, nosso reconhecimento e empatia em um momento de absoluta tensão e risco”, diz trecho do documento, assinado pelo presidente Teomar Jantsch. O CRM (Conselho Regional de Medicina) do Paraná vai acompanhar o caso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *