Grupo de trabalho inicia estudos sobre reajuste no custeio federal ao SAMU

Primeira reunião do GT será nesta sexta-feira (02); criação do GT foi um dos encaminhamentos de uma reunião realizada no Ministério da Saúde

Acontece nesta sexta-feira (02) a primeira reunião do grupo de trabalho responsável por iniciar os estudos técnicos sobre o reajuste no custeio federal para o SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência). Números apresentados durante audiência pública realizada na Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados apontam para uma defasagem de 78% nos repasses do Governo Federal, nos últimos 8 anos.

O funcionamento do grupo de trabalho foi um dos encaminhamentos da reunião realizada, em Brasília, no Departamento de Atenção Hospitalar, Domiciliar e de Urgência do Ministério da Saúde, onde a deputada Leandre solicitou R$ 1 bilhão em auxílio emergencial para o SAMU do Brasil.

O grupo de trabalho é formado por representantes dos SAMU, do Ministério de Saúde, da Rede Nacional dos Consórcios Públicos, da CNM (Confederação Nacional dos Municípios), e do CONASEMS (Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde)

“Durante o último mês temos direcionado nossos esforços para conseguir um auxílio financeiro para o SAMU, que mesmo com o aumento da demanda durante a pandemia, não recebeu recurso extra do Governo Federal”, comenta a deputada Leandre.

Segundo ela, nestes 30 dias, a luta pelo SAMU já deu resultados, como por exemplo uma nota técnica do Ministério da Saúde que autoriza, explicitamente, os municípios brasileiros a utilizar recursos de combate à Covid-19 para a manutenção dos serviços.

“O que acontece é que, com a defasagem nos repasses do Governo, são os municípios brasileiros que estão pagando a conta dos SAMU, através dos consórcios intermunicipais. O que nós queremos é equilibrar esta balança”, acrescenta Leandre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *