Caminhões pipa auxiliam contra a estiagem e contra a pandemia no Paraná

Municípios paranaenses tiveram o auxílio de caminhões-pipa para enfrentar a estiagem severa, unificada à pandemia. O Governo do Estado entregou 101 veículos desde 2019, um investimento de cerca de R$ 21,5 milhões, com parte dos recursos oriundos de emendas parlamentares. Os caminhões são viabilizados através de convênios entre as prefeituras e o Instituto Água e Terra (IAT), vinculado à Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo.

Os moradores de Altônia, no Noroeste do Estado, estão entre os beneficiados. “O município tem 96 poços artesianos para abastecer a população, mas os moradores, principalmente da área rural, precisaram do auxílio do caminhão-pipa para terem acesso à água por causa da estiagem”, disse o prefeito Claudenir Gervasone

O município é agrícola, com produção de leite, soja e mandioca, mas a principal atividade econômica são os 96 barracões aviários. “Esses produtores dependem muito da utilidade do veículo”, completou o prefeito

De acordo com o secretário estadual do Desenvolvimento Sustentável, Márcio Nunes, o caminhão é bastante versátil. “Serve para lavar a cidade, aguar as plantas, na sedentação humana e também na sedentação de animais, com a seca pela qual passamos no ano passado, pois ajudou a evitar a morte de centenas de frangos, peixes e porcos, entre outros”, disse. Os veículos também podem ser utilizados no combate a incêndios e na manutenção de estradas rurais.

PANDEMIA – O prefeito de Arapongas, na Região Norte, Sergio Onofre da Silva, ressaltou que o veículo foi entregue ao município no momento em que eles mais precisaram. “Diante da contaminação que estamos passando, ajudou a manter os lugares públicos limpos e desinfectados”, afirmou.

Ele destacou que o município não precisou arcar com os custos da compra do veículo, repassado a fundo perdido. “Com o Governo nos ajudando, o dinheiro que seria desembolsado para este veículo pode ser aplicado em outras situações, como na saúde da população”, completou.

Fonte: AEN

Foto:  Divulgação SEDEST

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *